PAPA: Francisco reforma a Cúria Romana no Vaticano

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

O Papa promulgou no dia 19 de março a nova constituição para a Cúria Romana, os serviços centrais de governo da Igreja Católica, assinalando os nove anos de início solene do seu pontificado.

A nova constituição apostólica “sobre a Cúria e seu serviço à Igreja e ao mundo”, e que substitui a atual constituição, Pastor Bonus, que João Paulo II promulgou em junho de 1988, contém 230 artigos e é intitulado Praedicate  evangelium (Proclamar o Evangelho). Entra em vigor no dia 5 de junho, solenidade litúrgica de Pentecostes.

O texto dá corpo a um projeto central de Francisco, que promoveu uma reforma interna com a ajuda de um inédito conselho consultivo de cardeais, representando os cinco continentes. A nova constituição propõe uma Cúria mais atenta à vida da Igreja Católica no mundo e à sociedade, rejeitando uma atenção exclusiva à gestão interna dos assuntos do Vaticano. O título e subtítulo resumem o programa e o conteúdo da constituição e coincidem com o que há três anos se soube: a Cúria Romana deve estar ao serviço primordial da evangelização e não da burocracia papal

Prioridade absoluta à evangelização, possibilidade de os leigos e as mulheres serem responsáveis dos dicastérios, mandatos limitados a cinco anos só excepcionalmente renováveis, redução do número de dicastérios, uma lógica de funcionamento centrada no serviço à Igreja universal e ao mundo, na comunhão, na sinodalidade, na colaboração mútua e na proximidade com os que mais sofrem. São estas algumas das principais mudanças estabelecidas na constituição