JMJ: bispos querem que seja encontro para todos e abrem a possibilidade de se adiar

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

O presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) afirmou no passado dia 15, por ocasião da Assembleia Plenária dos bispos que decorreu de 12 a 15 de abril, que a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), a realizar em Lisboa, em 2023, deve estar aberta a todos os jovens, independentemente da religião.

Citando o exemplo de judeus e muçulmanos, acrescentou que a JMJ é uma organização da Igreja Católica por iniciativa do Papa, para todos os jovens. “Quereríamos muito que não fossem apenas jovens católicos”, pois só desse modo a Igreja terá “alguma coisa para trazer e levar aos jovens de todo o mundo”.

O bispo Ornelas também admitiu a eventualidade de num novo adiamento da JMJ – a iniciativa estava prevista para 2022, mas a pandemia obrigou a atrasar um ano. “Não podemos excluir nada”, admitiu. O essencial é garantir que nessa altura já haja condições para viajar e estar juntos em segurança.

mais informação em /margens