DIOCESE: Conselho Presbiteral quer maior visibilidade do Seminário Maior na vida da Diocese

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

“A falta de visibilidade do Seminário Maior na vida da Diocese, pelo facto de estar sediado em Braga”, uma situação que também “não ajuda a promoção das vocações sacerdotais”, foi uma das conclusões do Conselho Presbiteral que decorreu no Seminário da Guarda, no dia 24 de Junho.
Sobre a presença dos seminaristas maiores da Guarda, no Seminário em Braga, “foi feita a recomendação para que, quanto possível no prazo de um ano, se encontre outra solução, que permita maior presença dos seminaristas na vida da Diocese”. Os membros do Conselho presbiteral pediram “a criação de uma equipa de trabalho para tratar desde já, este assunto, procurando soluções alternativas”.
A pensar na promoção das vocações e do Seminário, uma das propostas deve passar por “continuar a fortalecer o Pré-Seminário ou Seminário em Família”. Este trabalho deve ser feito “não apenas através do Sacerdote seu Director, mas também coadjuvado por uma equipa para o efeito constituída e pela colaboração dos Párocos, Catequistas e outros agentes pastorais das Paróquias, que identifiquem os candidatos e os apresentem”.
“Temos de saber fazer a proposta vocacional sobretudo nos centros maiores onde, de facto, estão os adolescentes e jovens”, adianta o comunicado do Secretariado Permanente do Conselho Presbiteral.
Mesmo sem a presença do Seminário Maior no seu espaço físico, foi referido que “a Diocese tem de continuar a ser centro de formação inicial e permanente para os Diáconos e os outros ministérios laicais, valorizando para esse efeito sobretudo os sacerdotes especializados em diferentes matérias teológicas e pastorais, num processo conduzido pela Escola Teológica de Leigos”.
Outro dos assuntos abordados na reunião teve a ver com a vida pastoral da Diocese que “precisa de valorizar mais os 7 arciprestados, cada um com a sua dinâmica e o seu programa próprios, procurando que sejam espaço de encontro, de motivação e de acerto nos critérios de acção pastoral”.
Sobre as unidades pastorais, o Conselho Presbiteral concluiu que são meta para a qual a Diocese tem “ainda largo caminho a percorrer”.
Na reunião foi feita a recomendação para que o Conselho de Arciprestes assuma também o estatuto dos Párocos Consultores, previsto no Código de Direito Canónico.
Foram ainda apresentados e considerados relatórios sobre o percurso sinodal feito na Diocese, bem como sobre o programa pastoral desenvolvido pela Pastoral Familiar e Juvenil. A pastoral juvenil adiantou propósitos que tem para a preparação próxima da JMJ-2023.
A terminar, foi dada informação sobre o propósito de constituir um novo grupo de candidatos ao Diaconado Permanente, sobre a formação de Ministros Extraordinários da Comunhão e Coordenadores das Assembleias Dominicais na ausência do Presbítero. O Bispo da Guarda deu conta de que a Peregrinação Diocesana a Fátima será nos dias 24 e 25 de Agosto e que, de 29 de Agosto a 1 de Setembro, terá luar, em Fátima, o Simpósio do Clero.
O Conselho Presbiteral dedicou uma hora, ao fim da manhã, para adoração ao Santíssimo Sacramento, no âmbito da Jornada Mundial de Oração pela Santificação dos Sacerdotes.

em Jornal A Guarda