CEP: Jornadas do Episcopado sobre a sinodalidade com várias sugestões

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

Os participantes das Jornadas Pastorais do Episcopado Português apresentaram diversas sugestões para o exercício da sinodalidade como a “promoção do papel das mulheres na Igreja” ou tornar a “nomeação de novos bispos mais célere”, no encontro realizado em Fátima.

A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) informa, num comunicado enviado hoje à Agência ECCLESIA, que acerca da sinodalidade a nível interno foi sugerido “tornar a nomeação de novos bispos mais célere”, num espírito de sinodalidade e “com a participação da comunidade”.

As Jornadas Pastorais do Episcopado Português reuniram cerca de 100 pessoas – bispos e sacerdotes, leigos das várias dioceses portuguesas, serviços da CEP e representantes da vida consagrada, durante dois dias em Fátima.

“Dar continuidade ao processo sinodal, divulgando boas práticas existentes, definindo próximos passos e operacionalizando as propostas sinodais desde as bases, as comunidades e paróquias”, foi outra das oito propostas para a CEP.

À Conferência Episcopal Portuguesa é sugerido viver “efetivamente a sinodalidade entre as dioceses”, entre os seus serviços e entre os bispos, “criando redes de contactos, promovendo sinergias e propondo linhas orientadoras para todo o país ou mesmo um plano pastoral comum”.

Os 10 grupos de trabalho das jornadas sugeriram também à CEP melhorar a comunicação, interna e externa, “cuidar a linguagem e definir um plano de comunicação”, estudar a criação de ministérios laicais, “nomeadamente da caridade e do acolhimento”, e repensar a “sustentabilidade económica” das estruturas da Igreja Católica em Portugal

‘Sinodalidade nas Igrejas locais e na missão da Conferência Episcopal’ foi o tema do encontro, nos dias 20 e 21 de junho, na Casa Nossa Senhora das Dores, no Santuário de Fátima.

Os participantes também apresentaram sugestões para o exercício da sinodalidade nas igrejas locais, com o propósito de “tomar decisões concretas e indispensáveis” que ajudem a enfrentar a “complexidade” desta época, como “promover continuamente o exercício da escuta, nomeadamente junto dos jovens”, retomando, nas comunidades, associações e movimentos, as sínteses e relatórios, para dar continuidade a este processo sinodal.

“Promover o papel da mulher na Igreja” é outra sugestão que se destaca das conclusões, bem como a criação grupos de acolhimento qualificados, “de conhecimento da comunidade, que sejam promotores da amizade e da fraternidade”, e “implementar a obrigatoriedade dos conselhos pastorais”.

Os trabalhos das Jornadas Pastorais do Episcopado Português começaram com uma conferência do professor José Eduardo Borges de Pinho, sobre ‘Sinodalidade como interpelação às Igrejas locais e à colegialidade episcopal’, e do padre Sérgio Leal, que apresentou as “resistências e oportunidades” do caminho sinodal.

A Igreja Católica está a viver um percurso sinodal, com o tema ‘Por uma Igreja sinodal: comunhão, participação e missão’, até outubro de 2023, convocado pelo Papa Francisco que começou a nível diocesano, nos cinco continentes, em outubro de 2021.

Em Agência Ecclesia

Comunicado da CEP