2020: Morremos mais e os nascimentos diminuiram

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp

Dados do Instituto Nacional de Estatística dão conta de que, em 2020, houve menos 2,6% nascimentos e mais 10,2% óbitos do que em 2019, o que fez com que o saldo natural do país (a diferença entre o número de nados-vivos e de óbitos) continuasse negativo, pelo 12.º ano consecutivo, e em valores superiores aos anteriores.

Segundo o INE, em 2020 houve 84.558 nados-vivos registados no país e 123.467 óbitos. A responsabilidade, ainda que não exclusiva, é, sobretudo, da pandemia, como reconhece o INE numa curta avaliação: “No contexto da pandemia de covid-19, o aumento do número de óbitos, assim como o decréscimo do número de nados-vivos, determinaram um forte agravamento do saldo natural (-38.856) que em 2019, era de -25.214. O mês mais mortífero foi Dezembro (12.951 óbito), com Novembro a registar o 3.º valor mais elevado, ao registar 11.454 óbitos. 

O mesmo estudo mostra que no ano passado se realizaram 18.889 casamentos, o número mais baixo de sempre, atingindo até a marca histórica de ser o mais baixo em 134 anos, já que a série longa do INE contém dados a partir de 1886. Até agora, o último ano da troika e o fim da primeira guerra mundial eram os anos com menor número de casamentos.

mais informação AQUI e AQUI